860 vidas foram preservadas no trânsito de Fortaleza em quase seis anos

0
51
860 vidas foram preservadas no trânsito de Fortaleza em quase seis anos

Ações e políticas de segurança viária evitaram acidentes com maior severidade e mortes
Levantamento da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) aponta que 860 pessoas tiveram a vida preservada no trânsito de Fortaleza entre janeiro de 2015 e outubro deste ano. A projeção considera que ações e políticas de segurança viária evitaram acidentes com maior severidade e mortes.

O número é calculado tendo como base a tendência de óbitos anteriores às consecutivas reduções de vítimas fatais registradas no trânsito da Cidade nos últimos seis anos. Antes de 2015, a variação de mortes apresentava uma tendência estável com média de 355 óbitos por ano. A partir disso, é feita a projeção para os anos seguintes.

Em 2020, o sexto ano consecutivo de redução de mortes no trânsito da Capital, foram estimadas 357 mortes no trânsito, mas consolidou 193 óbitos; o que significa que 164 vidas foram poupadas no período. Este ano, até outubro, foram 155 registros de óbitos diante de uma projeção de 292. Até o momento, foram 137 vidas preservadas.

Ato em defesa da vida

Nesta segunda-feira (22 de novembro), às 7h, a AMC vai realizar um ato a favor da vida para chamar a atenção da população sobre um comportamento seguro na vias da Capital em frente ao Painel de Contagem de Vidas Perdidas no Trânsito de Fortaleza, localizado na Praça da Imprensa.

A ação reunirá pessoas que sobreviveram a acidentes e familiares que farão um abraço coletivo no entorno do equipamento. O evento ocorre em alusão ao Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito, lembrado no domingo, 21 de novembro.

“Essa ação é uma forma de conscientizar a população que obedecer as regras de circulação viária, como respeitar os limites de velocidade, a sinalização e os mais vulneráveis no trânsito, é essencial para reduzirmos os sinistros com severidade. O cuidado no trânsito é buscar garantir que a saudade não chegue antes da hora”, destaca a superintendente da AMC, Juliana Coelho.

Redução nas mortes

As estatísticas mostram queda nos números de mortes no trânsito de Fortaleza. O trimestre de agosto a outubro deste ano registrou o menor número de mortes nas vias da Capital nos últimos 20 anos. A redução foi de 53%. “As 39 vidas perdidas no período impactam familiares, parentes e equipes de emergências e do trânsito que lidam diariamente com as consequências traumáticas das mortes e lesões no trânsito. Nenhuma perda é tolerável”, destaca Juliana Coelho.

A redução da violência no trânsito é atribuída às ações conjuntas que envolvem educação no trânsito, engenharia, como a expansão das vias com velocidade de 50 km/h, e fiscalização preventiva.

Compromisso com a ONU

Em maio, o prefeito de Fortaleza, José Sarto, assinou uma carta de compromisso com a Organização das Nações Unidas (ONU) para reduzir o número de mortes no trânsito até 2030. Entre 2011 e 2020, a Capital conseguiu alcançar a meta um ano antes do prazo, minimizando a incidência de ocorrências fatais em mais de 51%.

A renovação do compromisso reforça um ir e vir mais seguro, além de reafirmar a importância de adequar os limites de velocidade para salvar vidas, construindo ambientes mais seguros, saudáveis e habitáveis.

860 vidas foram preservadas no trânsito de Fortaleza em quase seis anos

DEIXE UMA RESPOSTA