Ações de combate à escassez de água no Ceará são apresentadas na Assembleia Legislativa

0
84
Ações de combate à escassez de água no Ceará são apresentadas na Assembleia Legislativa

O secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, apresentou o Relatório de Gestão dos Recursos Hídricos em reunião realizada pela Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa do Ceará

No panorama de enfrentamento dos desafios permanentes das questões relacionadas a água no semiárido, o Sistema de Recursos Hídricos do Ceará, composto pela Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH), Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) e Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), consolidou as ações planejadas e executadas de 2021 e as transformou no Relatório de Gestão dos Recursos Hídricos.

O Relatório foi apresentado, na manhã desta terça-feira (16 de novembro), na Assembleia Legislativa do Ceará, pelo secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, atendendo a requerimento da Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos. O presidente da Comissão, deputado Acrísio Sena, ressaltou o trabalho da gestão de recursos hídricos estadual como referência para todo o País. “A ideia desses encontros anuais é reunir todos os órgãos ligados à gestão para apresentar suas ações e projetos, uma vez que estamos passando pelo problema de escassez de água e por meio desses planejamentos e execuções é que poderemos garantir o abastecimento de água para consumo humano e animal em todo o nosso Estado”, avaliou.

O secretário Teixeira apresentou as ações desenvolvidas pelo Sistema Integrado dos Recursos Hídricos, destacando o planejamento e construção de barragens como as de Beberibe e São Luís do Curu, a perfuração de poços profundos nos municípios do interior, instalação de dessalinizadores, o projeto Malha D’Água e as grandes obras como o Cinturão das Águas. “A condução da política de Recursos Hídricos no Ceará construiu de forma positiva e expressiva na ampliação da oferta hídrica e na transformação do Ceará em um Estado mais resiliente aos períodos de seca. Teremos o Projeto Malha D’Água, com 35 sistemas adutores abrangendo de 178 municípios, terá eficiência na condução da água, para ganharmos em qualidade e quantidade, reduzindo perdas. Além do Cinturão das Águas, com três dos cinco lotes prontos, encaminhando água para todo o Estado. É importante ressaltar ainda o total de poços perfurados entre 2015 e 2021, num total de 8.745, e 252 dessalinizadores, garantindo reserva hídrica para população rural e urbana do interior do Estado”, frisou o secretário.

Ações de combate à escassez de água no Ceará são apresentadas na Assembleia Legislativa

Participaram do encontro os secretários Francisco Teixeira e Ramon Rodrigues, da SRH, presidente da Cogerh João Lúcio Farias, superintendente da Sohidra Yuri Castro e os deputados estaduais Acrísio Sena, Antônio Granja e Osmar Baquit, além de técnicos e gestores da Cagece, Cogerh, Funceme e Assembleia Legislativa.

Passaporte da vacina no CearáO deputado estadual Acrísio Sena (PT) defendeu, em pronunciamento realizado nesta quarta (17 de novembro), na Assembleia Legislativa, a obrigatoriedade da apresentação do passaporte da vacina para ingresso em restaurantes, bares e eventos em todo o Ceará. “O governador Camilo Santana anunciou, na última sexta-feira (12), esta medida, já usada em vários países, que é de fundamental importância para que possamos continuar controlando os efeitos da pandemia e continuar a retomada da normalidade no Estado. É a vontade da maioria, já 85% da população já tomou pelo menos uma dose e cerca de 70% já completou seu esquema vacinal”, explicou Acrísio.
Ele lembrou que, em todo o processo da pandemia, o governador Camilo Santana pautou suas decisões em critérios técnico-científicos, orientados pela OMS, que recomenda o passaporte em situações de avanço acelerado da vacinação, como o caso do Ceará. “O número de mortos e infectados também despencou. Não podemos regredir. É uma questão de saúde pública e condição básica para preservar vidas. A população sabe dos estragos que o negacionismo causou em milhares de famílias. Não vamos jogar fora todo o esforço que a sociedade fez”, ressaltou.
Ações de combate à escassez de água no Ceará são apresentadas na Assembleia Legislativa

DEIXE UMA RESPOSTA