Ex-gestor de Pindoretama terá de devolver R$ 59,4 mil ao cofre do município

0
531

Dois ex-gestores municipais foram condenados pela Primeira Câmara do Tribunal de Contas do Estado do Ceará a ressarcirem R$ 86 mil aos cofres públicos em decorrência da não comprovação do saldo financeiro no final de suas gestões. Entre eles está o secretário de Infraestrutura da Prefeitura de Pindoretama no período de 1º de janeiro a 3 de junho de 2013, Helder Carneiro, na gestão do prefeito Valdemar Araújo. Ele terá de devolver R$ 59,4 mil. Pelo conjunto das irregularidades, cada gestor foi multado em aproximadamente R$ 5,9 mil.

O segundo nome é o da gestora do Fundo Municipal de Ação Social de Jardim, no exercício de 2012 (R$ 26,5 mil), Antonia Campos da Silva Martins. Os valores são nominais e, portanto, ainda serão atualizados monetariamente.

Na prestação de contas da Secretaria de Infraestrutura de Pindoretama foi constatada falta de licitação para despesas com locação de imóveis. Já no caso de Jardim a despesa sem licitação foi para serviços de transportes diversos. Pelo conjunto das irregularidades, cada gestor foi multado em aproximadamente R$ 5,9 mil.

A decisão do colegiado do TCE foi tomada nesta segunda-feira (1º/10) no julgamento das respectivas prestações de contas de gestão, ambas relatadas pela conselheira Patrícia Saboya. Os responsáveis terão 30 dias para interpor recurso.

A turma deliberou ainda pela abertura de processos de representação junto ao Ministério Público Estadual para que sejam adotadas as medidas cabíveis diante da constatação, nos dois processos, de ausências de licitações, o que, em tese, representa ato de improbidade administrativa e crime previsto na Lei de Licitações.

Dois ex-gestores municipais foram condenados pela Primeira Câmara do Tribunal de Contas do Estado do Ceará a ressarcirem R$ 86 mil aos cofres públicos em decorrência da não comprovação do saldo financeiro no final de suas gestões. Entre eles está o secretário de Infraestrutura da Prefeitura de Pindoretama no período de 1º de janeiro a 3 de junho de 2013, Helder Carneiro, na gestão do prefeito Valdemar Araújo. Ele terá de devolver R$ 59,4 mil.

O segundo nome é o da gestora do Fundo Municipal de Ação Social de Jardim, no exercício de 2012 (R$ 26,5 mil), Antonia Campos da Silva Martins. Os valores são nominais e, portanto, ainda serão atualizados monetariamente.

Na prestação de contas da Secretaria de Infraestrutura de Pindoretama foi constatada falta de licitação para despesas com locação de imóveis. Já no caso de Jardim a despesa sem licitação foi para serviços de transportes diversos.

A decisão do colegiado do TCE foi tomada nesta segunda-feira (1º/10) no julgamento das respectivas prestações de contas de gestão, ambas relatadas pela conselheira Patrícia Saboya. Os responsáveis terão 30 dias para interpor recurso.

A turma deliberou ainda pela abertura de processos de representação junto ao Ministério Público Estadual para que sejam adotadas as medidas cabíveis diante da constatação, nos dois processos, de ausências de licitações, o que, em tese, representa ato de improbidade administrativa e crime previsto na Lei de Licitações.

DEIXE UMA RESPOSTA