Exportações cearenses ultrapassam US$ 278 milhões

0
348
ZPE Ceará/Divulgação

As exportações do Ceará, em outubro, chegaram a US$ 278,4 milhões. Esse valor representa um aumento de 108,3% em relação ao total exportado no mês de setembro. No comparativo com outubro do ano passado, as vendas do Ceará ao exterior contabilizam um aumento de 48,6%. O resultado posiciona o Ceará como o terceiro maior exportador do Nordeste e o 14º do Brasil, mantendo seu crescimento acima da média nacional. As importações do mês também obtiveram aumento e chegaram a US$ 207,8 milhões. Os números fazem parte do estudo Ceará em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

O valor exportado de janeiro a outubro deste ano é o maior da história do Ceará, tendo alcançado a marca de US$ 1,8 bilhão, 10,6% maior do que o mesmo período de 2017.  O município de São Gonçalo do Amarante, onde está localizada a Zona de Processamento de Exportações (ZPE) e o Complexo Industrial e Portuário do Pecém, continua sendo o maior responsável por esse “boom” nas exportações. A cidade cresceu mais de 30% em vendas externas em relação ao ano passado. Esse valor representa 61,6% das exportações cearenses, totalizando US$ 1,12 bilhão.

O estudo aponta também que o principal setor exportador do Ceará continua sendo o de “Ferro fundido e aço”, com US$ 1,08 bilhão, porém destaca que o segmento de pescados registrou um aumento de 10,8% no período analisado, totalizando US$ 45,8 milhões. A lagosta, 12º principal produto exportado pelo Ceará em 2018 é o grande responsável pelo crescimento do setor, representando quase a metade do total. O crustáceo cearense tem como principais destinos os Estados Unidos, a Austrália e alguns países asiáticos. Em função da recente barreira comercial imposta pela União Europeia aos pescados, o Ceará não exporta para países do bloco europeu.

Em 2018, o Ceará exportou para 144 países e os Estados Unidos se mantém como principal destino. O Ceará em Comex destaca que o volume importado pela Polônia do Ceará cresceu em mais de 2000 pontos percentuais, totalizando US$ 56,5 milhões. Outro destaque fica por conta do crescimento das exportações para a Holanda. O país, que recentemente selou uma importante parceria com o Ceará através dos portos do Pecém e de Roterdã, aumentou as compras em 37,9%, chegando a marca de US$ 46,9 milhões.

Quanto às importações o estado é o 13° entre as unidades federativas do país, com um total de US$ 2,2 bilhões comprados do exterior de janeiro a outubro de 2018. Esse valor é 13,4% superior ao do mesmo período do ano passado. São Gonçalo do Amarante, Fortaleza e Maracanaú são as cidades que mais compram do exterior. A China, maior origem das importações brasileiras, é também a maior fornecedora internacional do Ceará, com US$ 465,7 milhões importados de janeiro a outubro de 2018. Os principais produtos chineses comprados são as células solares e alguns defensivos agrícolas. (Sistema FIEC)

DEIXE UMA RESPOSTA