Governador solicita habilitação do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe

0
70
Governador solicita habilitação do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe

O governador Camilo Santana esteve nesta quarta-feira (1º de dezembro), em Brasília, para reunião com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. A principal pauta do encontro, dentre outros assuntos, é o credenciamento e habilitação do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe (HRVJ). Equipamento inaugurado no último dia 25 de novembro, o HRVJ se integra à Rede da assistência da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), que já conta com unidades de alta complexidade nas Regiões de Fortaleza, Cariri, Norte e Sertão Central. Localizado no Km 190 da rodovia BR-116, no município de Limoeiro do Norte, o novo Hospital ocupa uma área de quase 30 mil metros quadrados (m²) e contará, inicialmente, com 60 leitos de internação/enfermaria nas áreas de clínica médica, clínica cirúrgica e psiquiatria, 10 leitos de UTI e cinco leitos de apoio, além de centro de imagem com exames laboratoriais, endoscopia, raio-x, ultrassonografia, tomografia computadorizada, hemodinâmica e ressonância magnética.

“Nós viemos discutir o credenciamento e habilitação do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe. O Ceará já tinha feito essa solicitação anteriormente, porém o ministério só inicia a habilitação após o início do funcionamento do hospital. Como ele já começou a funcionar, nós viemos reforçar esse pedido como também a substituição das ambulâncias do Samu, outra demanda anterior, o ministério tinha feito uma uma licitação, mas não conseguiram adquirir as ambulâncias. Assim, estão fazendo um novo processo, pois há uma série de ambulâncias para serem substituídas dentro do Samu que atende todo o Ceará”, explicou o governador, que promoveu a universalização do atendimento do Samu, baseado em todos os municípios cearenses.

Sobre o funcionamento do HRVJ, o governador detalhou que mais serviços serão implementados em fases posteriores, considerando a complexidade na implantação de um hospital com o porte do HRVJ. Para isso, a Sesa segue um plano de abertura com tecnologia avançada e recursos humanos especializados, dividindo as etapas progressivas de atendimento médico hospitalar baseadas em critérios conforme a necessidade regional, objetivando garantir a qualidade dos serviços oferecidos, otimização de custos, segurança e continuidade na assistência. “O HRVJ começou a funcionar seus leitos de UTI, cirurgias, imagens laboratoriais, mas conforme o plano de atuação apresentado durante a inauguração, até abril ele estará funcionando 100%. É por isso que a secretária executiva de Atenção à Saúde da Sesa, Tânia Coelho, ficará aqui para resolver isso, já que o equipamento já está funcionando desde a semana passada, e nós viemos aqui solicitar o apoio do ministério da Saúde”, apontou.

Passaporte da Vacina

Dentre outros assuntos tratados, Camilo Santana pontuou a importância das vacinas e a sua ampliação. “Discutimos muito sobre a pandemia, a importância da vacina, e as estratégias que o Estado tem feito pra gente ampliar a vacinação. Mostrei para o ministro como a adesão ao Passaporte da Vacina foi uma das medidas importantes nesse momento. Tanto o secretário de Saúde estadual, Marcos Gadelha, quanto a secretária municipal, Ana Estela, notaram o aumento da procura pela vacina, principalmente da segunda dose, desde o anúncio da utilização do passaporte, e são medidas que a gente tem procurado tomar para proteger a população”, disse.

Sobre a observação da nova variante, o governador garantiu que suas equipes estão acompanhando o novo cenário. “Estamos atentos à nova variante africana, e aos aumentos de casos na Europa. Então, precisamos ter muita prudência, muita responsabilidade para que a gente possa garantir que não haja um aumento de casos no Ceará, e a grande forma de garantir que não haja esse avanço é vacinando toda a população, e esse tem sido o nosso esforço todos os dias lá no Ceará”, reforçou Camilo.

O governador também destacou a importância do Estado ter um contrato em vigência com o Instituto Butantan para que possa adquirir, sempre que necessário, mais doses da vacina contra Covid-19. “O ministro nos informou que firmou um novo contrato com a Pfizer, com mais de 100 milhões de doses, para garantir a ampliação da vacinação no Brasil nos próximos meses, mas na hora que o Ceará precisar de mais doses, nós podemos contratar e comprar a qualquer momento, pois nós já recebemos 300 mil doses, mas temos um contrato muito maior com o Butantan. Lembrando que já está na Anvisa o pedido de autorização para iniciar a produção da vacina feita no Brasil por parte da Fiocruz, permitindo ao laboratório produzir até 40 milhões de doses por mês, acredito que suficiente para atender as demandas do País a partir de 2022”, informou.

Em relação ao passaporte, Camilo Santana atesta sua importância social e científica, como foi feito em outros países do mundo. “Adotar o Passaporte da Vacina no Ceará foi uma decisão natural, e que tem sido tomada em vários países do mundo, e por alguns Estados brasileiros. Medida que nós decidimos de forma democrática dentro do comitê, dialogando com os setores e considerando que é muito importante nesse momento. Não só para controle vacinal, mas para garantir, preservar e proteger as pessoas. Além disso, também para estimular que as pessoas se vacinem, pois repito, a grande maioria das pessoas que têm se vacinado e que eventualmente contraíram o vírus, os sintomas são leves. Por outro lado, a grande maioria, mais de 90% das pessoas que estão sendo internadas de forma grave, são pessoas que não tomaram a vacina, ou não tomaram a segunda dose. Então isso mostra a eficiência, a eficácia da vacina. Por isso que a gente estimula e eu sempre tenho feito um apelo, para que as pessoas procurem se vacinar, porque além de estarem se protegendo, protegem também as pessoas que ela mais ama, e com ela convive”, salientou.

Governador solicita habilitação do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe

Hospital de alta complexidade

Quando estiver em pleno funcionamento, o HRVJ terá 304 leitos e oferecerá à Região emergência e urgência, ambulatório, centro de imagem e diagnóstico, centro de parto, centro cirúrgico, enfermarias clínica, cirúrgica, traumatológica e pediátrica, somando 304 leitos. Terá ainda Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) neonatal e UTIs neonatal, pediátrica e adulta, além de espaço para ensino e pesquisa.

A estrutura de hospitalar possibilita quadro de equipes multiprofissionais com 31 especialidades médicas (Anestesiologia; Cardiologia – Clínica e Cirúrgica; Cirurgião Bucomaxilo; Cirurgia Geral; Cirurgia Vascular; Cirurgia Oncológica; Cirurgia Cabeça e Pescoço; Clínica Médica; Dermatologia; Endocrinologia; Endoscopia Digestiva e Respiratória; Gastroenterologia; Gineco-Obstetrícia – Clínica e Cirúrgica; Hemodinamicista; Mastologia; Medicina Intervencionista; Nefrologia -TRS; Neonatologia; Neurologia; Neurocirurgia; Neuropediatria – fila de espera; Oftalmologia; Oncologia Clínica; Otorrinolaringologia; Pediatria -Clínica e Cirúrgica; Psiquiatria; Pneumologia; Reumatologia; Radiologia; Traumato-Ortopedia; Urologia); nutricionista; farmacêutico; assistente social; enfermeiro; fisioterapeuta; terapeuta ocupacional; fonoaudiólogo; psicólogo e ouvidoria.

Governador solicita habilitação do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe

DEIXE UMA RESPOSTA