Novembro Azul: hora de dar um basta ao preconceito e cuidar da saúde de forma integral

0
62
Novembro Azul: hora de dar um basta ao preconceito e cuidar da saúde de forma integral

O mês de Novembro será pintado de Azul com a campanha anual de prevenção e combate ao câncer de próstata. O Novembro Azul chama a atenção dos homens para cuidar de sua saúde e principalmente eliminar tabus e buscar atendimento de forma precoce para evitar problemas futuros. Para o médico urologista, Gustavo Perci, do Centro de Atenção à Saúde do Homem (CASH), o momento é de chamar a atenção dos homens sobre os riscos do câncer de próstata e da saúde do homem de forma geral.

Ele pontua que o câncer de próstata é muito comum, sem contar o câncer de pele pelo melanoma. Afirma que o câncer de próstata não apresenta sintomas no início, por isso a importância de procurar o médico a partir dos 50 anos de idade; e a partir dos 45 anos que tiver histórico familiar de casos ou mesmo com idade menor, a critério do médico de saúde da família, em alguns casos. “O diagnóstico precoce nos ajuda a detectar no início uma doença que pode ser indolente ou mesmo agressiva”, revela.

Gustavo Perci assevera que existem cinco tipos de câncer de próstata, desde o menos indolente e menos agressivo, que muitas vezes nem precisa tratar mas apenas acompanhar, até os muito agressivos, quando é necessário operar rapidamente e as vezes ter ainda que fazer um tratamento complementar com radioterapia. “Só tem um jeito de saber o tipo de câncer – através do diagnóstico, através do exame de toque, do PSA e se for o caso, uma biópsia de próstata quando necessário. Além disso, é importante que o homem procure o médico da saúde da família, porque além do câncer de próstata, existem outras doenças que também precisam de tratamento, como a hipertensão, o diabetes, entre outras. O fato é que muitos homens não procuram fazer um checkup, procuram apenas quando estão muito doentes e isso é um erro. A maioria das doenças é mais fácil tratar no início do que quando a pessoa está com um problema mais grave”, destacou.

Machismo

O médico da família, Rômulo Fernandes, que atua no Posto de Saúde César Cals de Oliveira, observa que os homens acabam deixando a questão da saúde um pouco de lado, o que tem muito a ver com a questão cultural e mesmo com o machismo, mas as vezes da própria questão dos serviços públicos oferecidos. “Os serviços de saúde, especialmente os da atenção primária não ofertam um espaço muito adequado para o atendimento do homem, fora do horário de trabalho, pois deveria ter um horário mais estendido. O serviço por muito tempo foi voltado para o atendimento da gestante, de mulheres e de pessoas idosas e acabou deixando de lado essa população mais jovem de homens, especialmente dos 25 aos 59 anos”, salientou.

Segundo ele, com a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, os homens voltaram a frequentar as unidades básicas de atenção à saúde e passaram a entender que nesses locais podem buscar os atendimentos que precisam. “Mas para que haja um bom atendimento, é ideal que o profissional de saúde conheça a pessoa antes do doente. Então eu aconselho muito fortemente os homens a buscarem os profissionais da estratégia de saúde da família para fazer esse acompanhamento. A porta de entrada, o local ideal é a atenção primária à saúde, que são os postos de saúde. É nesses locais onde nós homens devemos buscar esse atendimento inicial e fazer esse acompanhamento”, explicou.

Disse que nesse atendimento nos postos, os médicos podem orientar sobre as questões da alimentação saudável, da prática de exercícios de cessar o tabagismo e se precisar fazer uso de medicação, fazer de forma correta e também fazer alguns exames para o rastreamento de algumas doenças, sejam as ligadas à parte urológica, como principalmente as sexualmente transmissíveis e outras que afetam a parte psicológica do homem, como a disfunção erétil, ejaculação precoce, que podem ser conversadas e tratadas por médicos da atenção primária.

Além disso, lembra que a saúde do homem é muito abrangente, pois ela envolve desde o cuidado com a boca a doenças cardiovasculares. Ensina que os homens com idade de 25 anos aos 39 podem fazer avaliação de 2 em 2 anos, e a partir dos 40 fazer anualmente de forma mais individualizada para que sua saúde tenha acompanhamento profissional. “O processo de envelhecimento acontece, mas tudo depende da forma como a pessoa se cuida. Se ela tem um atendimento regular com um profissional de saúde, se tem alimentação saudável e faz atividades fiscais, se não fuma, tudo isso traz benefícios. Quanto mais cedo descobrir problemas de saúde, diminui os riscos e resolve as coisas de forma mais rápida”.

Câncer de próstata

Quanto ao câncer de próstata diz que é necessário falar antes dos fatores de risco, tais como: obesidade, sedentarismo, tabagismo e também as pessoas com pele negra tem mais probabilidade de ter câncer de próstata e também as que tem algum caso no histórico familiar. “O cuidado deve ser conversado com o profissional de saúde. Mas ainda há preconceito com relação ao exame de toque. Mas é bom esclarecer que o exame de sangue não substitui o exame de toque, na verdade são exames complementares”, acentua.

Rômulo Fernandes manda um recado para os homens. “Estamos iniciando o Novembro Azul que alerta sobre o Câncer de Próstata que acomete os homens, mas não podemos fechar só nesse problema. Devemos ver a saúde do homem de forma geral. Devemos falar do cuidado que devemos ter com a saúde mental, com a saúde da boca, com as doenças cardiovasculares e com as complicações que ela pode trazer. Entre as principais causas de morte dos homens, podemos falar do infarto agudo no miocárdio e também das doenças cérebro vasculares, o famoso e temível AVC, além disso, devemos falar de outras condições urológicas que também afetam o homem e sua qualidade de vida, como a disfunção erétil, ejaculação precoce e outros”, comentou.

Novembro Azul no Legislativo

Novembro Azul: hora de dar um basta ao preconceito e cuidar da saúde de forma integral

Seguindo com as ações preventivas voltadas à saúde, a Unidade de Saúde da Câmara Municipal de Fortaleza realiza o atendimento aos funcionários, com orientações sobre o câncer de próstata e solicitação de exames. A médica Érika Matos reforça uma atenção à saúde do homem, atentando para a eficácia do tratamento com o diagnóstico precoce.

Novembro Azul: hora de dar um basta ao preconceito e cuidar da saúde de forma integral

“Por meio dessa campanha a gente quer incentivar os homens acima de 40 anos na procura de atendimento. A tentativa é reduzir um pouco do preconceito entre os homens sobre o toque retal e entender que essa é uma questão de saúde. Nosso objetivo é esclarecer e tirar dúvidas sobre o câncer de próstata, iremos solicitar exames e encaminhar para especialistas caso seja necessário”, destacou.

Serviço

Para se cuidar o homem deve procurar as unidades de saúde básica à saúde, que são os postos de saúde de seus bairros. A capital conta hoje com 116 unidades. Após consulta com as Equipes de Saúde da Família (ESF), e a realização do cuidado adequado à saúde do homem de forma abrangente, poderá ser encaminhado ao especialista na Rede Especializada.

A Rede especializada conta com o Centro de Atenção à Saúde do Homem (CASH), que fica no Centro de Saúde Escola Meireles, da Secretaria Estadual da Saúde, e conta com o apoio de vários atendimentos para o público masculino, como exames e consultas com especialistas.

O CASH funciona como um espaço para atendimento dos homens com foco na prevenção do câncer de próstata, ofertando tratamento clínico da hiperplasia prostática (aumento da próstata), da disfunção erétil e do distúrbio androgênico do envelhecimento masculino (andropausa). Para ser atendido no CASH, o homem deve procurar o posto de saúde mais próximo da sua residência. Após consulta com o médico do Programa de Saúde da Família, poderá ser encaminhado ao especialista.

Novembro Azul: hora de dar um basta ao preconceito e cuidar da saúde de forma integral

DEIXE UMA RESPOSTA