Onyx diz que governo surpreenderá com “capacidade de diálogo” e pede trégua à oposição

0
302
O presidente Jair Bolsonaro empossa o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante cerimônia de nomeação dos ministros de Estado ontem (terça, 1), no Palácio do Planalto – Foto: Valter Campanato/ABr

Os novos ministros do governo Jair Bolsonaro (PSL), empossados ontem pelo novo presidente, participaram de cerimônias de transmissão dos cargos. As solenidades ocorrem no Palácio no Planalto e outras localidades desde as 9h da manhã desta quarta-feira (2/1). O ministro Onyx Lorenzoni, recebeu o cargo do agora ex-ministro da Casa Civil Eliseu Padilha, pediu trégua à oposição.

Em seu discurso, o novo ministro da Casa Civil, que coordenou a equipe de transição de governo, disse que o novo governo terá o “diálogo” como marca, pedindo um “pacto político entre governo e oposição por amor ao Brasil”.

Onyx disse que as disputas políticas e ideológicas “podem e devem ser travadas”, e que o governo não recebeu um “papel em branco” ao vencer a eleição. O novo ministro também afirmou que Bolsonaro e sua equipe surpreenderão na capacidade de dialogar com o Parlamento.

“O diálogo será a marca desse governo. Nós vamos surpreender com a capacidade de dialogar, dialogar e dialogar, porque o parlamento precisa disso e o presidente sabe disso e nós temos um grande desafio: consertar o Brasil”, disse.

Representantes dos partidos de oposição, como PT, Psol e PCdoB não compareceram à posse ontem (terça, 1) sob a justificativa de um ato de “resistência”. Durante agenda de campanha, em setembro, Bolsonaro chegou a dizer que iria “fuzilar a petralhada” e empunhou um tripé de câmera como uma metralhadora, mas disse depois que se tratava de uma “brincadeira”.

Parte da imprensa também foi hostilizada ontem, ao chegar para trabalhar no Palácio do Planalto em um ônibus do governo, por apoiadores do novo presidente que aguardavam para acompanhar a posse.

Sob justificativa de segurança, o trabalho da imprensa foi restrito, com proibição de circular entre setores para acompanhar todos os momentos da posse. Pela primeira vez, os jornalistas que cobriram a posse no Congresso, por exemplo, não puderam continuar a acompanhar o resto da cerimônia no Palácio do Planalto.

Além de Onyx, a manhã também teve transmissão de cargos para os novos ministros.

Durante a manhã, foram transmitidos os cargos aos novos ministros, Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral da Presidência), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), General Augusto Heleno (Segurança Institucional), Sérgio Moro (Justiça e Segurança), almirante  Bento Costa e Lima (Minas e Energia) e Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

À tarde, as solenidades serão das transmissões das pastas da Cidadania e Ação Social para Osmar Terra, da Saúde para Luiz Mandetta, da Economia para Paulo Guedes, da Infraestrutura para Tarcísio Gomes de Freitas, da Educação e Ricardo Vélez Rodriguez,do Turismo para Marcelo Álvaro Antônio e da pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos para Damares Alves.

DEIXE UMA RESPOSTA