Prefeita afastada de Cascavel irá recorrer da decisão do TRE-CE

0
806
Ivonete Queiroz, prefeita afastada de Cascavel - Foto: Revista Litoral Leste Ceará

A prefeita afastada de Cascavel-CE Ivonete Queiroz divulgou mensagem nas mídias sociais da cidade, na quinta-feira (7/2) que irá recorrer da cassação do seu mandato decidida pelo Tribunal Regional Eleitoral-TRE-CE. “Esclareço aos cascavelenses que exercerei o meu direito constitucional de recorrer. É nosso dever buscar a justiça com a mesma determinação com que lutamos para desenvolver esta cidade”, disse Ivonete Queiroz.

A prefeita afastada esclarece que “não fui afastada por corrupção ou por desvios, pois sempre procurei dar passos honrados e dignos na minha vida pessoal e administrativa”. Segundo ela, a decisão “questiona as oportunidades de emprego, estágios e convênios, inclusive o de transporte para universitários”. Em outro ponto ressalta que as “sementes plantadas por minha gestão […] ainda germinarão por longos anos”.

Na noite de segunda-feira (28/1) o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará manteve, por maioria, a sentença de cassação dos diplomas da prefeita de Cascavel, Francisca Ivonete Mateus Pereira, e do vice-prefeito, Waltemar Matias de Sousa, em Ações de Investigação Judicial Eleitoral, por abuso de poder político nas eleições de 2016. Os recorrentes ficam ainda inelegíveis por 8 anos.

O presidente da Câmara de Vereadores de Cascavel Sebastião Uchoa-PDT assumiu interinamente na noite de segunda-feira (4/2), a chefia do Poder Executivo municipal, no lugar de Ivonete Queiroz-PDT, afastada pelo Tribunal Regional Eleitoral-TRE-CE. No lugar de Uchoa tomou posse também interinamente na presidência da Câmara de Vereadores, Priscila Lima-PDT, conhecida como Priscila do Wilame. Todos são da base política da prefeita afastada. Priscila ocupava a 1ª vice-presidência da Casa Legislativa.

O 1º secretário da Câmara de Vereadores, Ailton Dantas-PDT informou que os mandatos do prefeito e presidente interinos devem ser de três meses, até o TRE-CE baixar resolução dando orientações sobre o assunto. Segundo fontes da revista, o Tribunal deverá agendar nova eleição, que poderá ocorrer no segundo semestre de 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA