Ricardo Cavalcante assina norma regulamentadora do sistema de energia híbrido brasileiro

0
67
Ricardo Cavalcante assina norma regulamentadora do sistema de energia híbrido brasileiro

Na tarde desta sexta-feira (03 de dezembro), o Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e da Associação Nordeste Forte, Ricardo Cavalcante, e o Presidente do Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico (SINDIENERGIA-CE), Luis Carlos Queiroz, receberam o Diretor-Geral da Aneel, André Pepitone, para assinar o documento da norma regulamentadora do sistema de energia híbrido, autorizando o funcionamento de parques de geração de energia híbridos –solares e eólicos – e de outros tipos de energia.

O evento, que aconteceu na Casa da Indústria, contou com a presença do 1° Vice-Presidente da FIEC, Carlos Prado; do Vice-Presidente, André Montenegro; dos Ex-Presidentes da FIEC, Roberto Macedo e Fernando Cirino; Jorge Seif Júnior, Secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Secretário do Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno; do Secretário Executivo de Energia e Telecomunicações do Ceará, Adão Linhares; do Deputado Federal Danilo Forte; do Superintendente da SEMACE, Carlos Alberto Mendes; da Diretora da Aneel, Elisa Bastos; Mário Araripe, Presidente da Casa dos Ventos Energias Renováveis; entre diversos outros Diretores da FIEC, empresários e representantes institucionais e convidados.

“O documento assinado permite trazer mais eficiência ao setor elétrico, reduzindo custos e aumentando o fator de capacidade de nossas instalações que em certos períodos ficavam ociosas, podendo agora escoar energia de usinas, por exemplo, eólicas e solares”, declarou o Diretor-Geral da Aneel, André Pepitone sobre a importância deste marco.

O Presidente da FIEC lembrou que a ação trará grandes benefícios ao país e se sente orgulhoso em o estado do Ceará receber essa solenidade e o Diretor-Geral André Pepitone. “A ação sem dúvidas possibilitará o desenvolvimento e crescimento do setor, o fortalecimento da produção de energias sustentáveis e, com isso, a ampliação de fontes de energia, alavancado nossas indústrias e possibilitando mais geração de emprego e renda”, completou.

A regulamentação é uma medida que chega para somar ao ano positivo do setor de energias renováveis, que engloba as gerações eólica e solar. Com ela, a geração centralizada e as empresas que atuam e que almejam atuar nesse segmento de energias renováveis poderão ampliar, com muito mais facilidade, suas atuações, e aquelas empresas que já contam com projetos híbridos poderão colocá-los em prática, fomentando o desenvolvimento do setor.

O Deputado Federal Danilo Forte, Cordenador da frente parlamentar em defesa das energias renováveis na Câmara Federal, reforçou a ação estratégica lembrando da importância das novas fontes energéticas para a manutenção do crescimento do país. “ O Brasil precisa conciliar, cada vez mais, as agendas renováveis. A saída para o crescimento do país é a energia”, finalizou.

A medida deve beneficiar de sobremaneira os projetos de usinas que estão por iniciar suas operações, pois muitos já previam o modelo híbrido. A capacidade instalável de geração híbrida no estado (eólica + solar fotovoltaica), identificada no Atlas Eólico e Solar do Ceará é de 137 GW.

Luis Carlos Queiroz, Presidente do SINDIENERGIA-CE, agradeceu pela assinatura e lembrou que “os parques eólicos, por exemplo, que já existem, com licença ambiental e infraestrutura de rede, já montados, poderão ampliar suas produções com energia solar, com complementação de carga. Tudo isso com rapidez de implantação e baixo custo”, disse.

Ricardo Cavalcante assina norma regulamentadora do sistema de energia híbrido brasileiro

DEIXE UMA RESPOSTA