Dia do Meio Ambiente é lembrado pelos senadores em redes sociais

0
118
imagem materia
Parlamentares lembraram que a sobrevivência da humanidade depende da preservação do meio ambiente Mário Vilela/Funai

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta sexta-feira, 5 de junho, foi lembrado pelos senadores, que se manifestaram pelas redes sociais. O impactos na saúde da população, as críticas ao governo na área ambiental e a necessidade de conciliar preservação e desenvolvimento foram alguns dos principais focos dos senadores.

“O meio ambiente não é obstáculo ao progresso. É valor em si! Em vez de destruir para difundir práticas do passado, precisamos desenvolver capacidade científica para proteger a natureza e os povos tradicionais e usar seus recursos e conhecimentos com justiça e sabedoria”, afirmou o senador Fernando Collor (Pros-AL). A conservação dos recursos naturais, ressaltou, é um valor estruturante do mundo contemporâneo, e um eixo do processo civilizatório.

Para a senadora Kátia Abreu (PP-TO), o respeito ao meio ambiente pode gerar crescimento na economia. “O Brasil se tornou um dos maiores produtores de alimento do mundo porque aprendeu a respeitar o meio ambiente. Preservar a natureza é preservar a vida”, argumentou a senadora.

 O senador Marcio Bittar (MDB-AC) disse considerar que preservação racional dos recursos da natureza significa não excluir da equação a geração de riquezas. Na mesma linha, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) afirmou que não se pode esquecer dos povos que vivem na floresta. “Conservar a floresta em pée cuidar do meio ambiente, sem esquecer dos povos que nela habitam. Equilíbrio e harmonia entre o homem e a natureza”.

Também o senador Jader Barbalho (MDB-PA) disse ser favorável ao desenvolvimento social e econômico da Amazônia, com equilíbrio ambiental. “Defendo a retomada do Fundo Amazônia para ampliar os recursos de monitoramento, planejamento e uso racional de nossa biodiversidade”, defendeu.

Saúde

Os impactos na saúde da população também foram lembrados. O senador Romário (Podemos-RJ) afirmou que preservar do meio ambiente é preservar a saúde das pessoas. “Os alimentos que comemos, o ar que respiramos, muitos remédios que curam doenças graves, a água que bebemos e o clima que torna nosso planeta habitável vêm da natureza. Somos mais dependentes do que imaginamos de sua rede interconectada e do seu delicado equilíbrio”, alertou.

O senador Jaques Wagner (PT-BA) afirmou que, neste ano, a data, necessária para a reflexão de uma pauta comprometida com o planeta, coincide com o enfrentamento ao coronavírus. O senador defende ações como o grande impulso para a sustentabilidade, com um modelo de crescimento que gere empregos, e preserve recursos naturais, estabelecendo  um novo olhar para os biomas.

 “Ações assim são, inclusive, em prol da nossa saúde, já que estudos mostram que muitas doenças recentes foram transmitidas por animais, durante invasão humana irresponsável à natureza”, advertiu o senador.

Críticas

Algumas das postagens dos senadores foram marcadas por críticas à condução da política ambiental pelo governo. Os senadores fizeram referências às falas do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, durante reunião ministerial em abril. O vídeo da reunião foi divulgado em maio e uma das falas do ministro foi interpretada como uma intenção de aproveitar o foco na pandemia para afrouxar o controle ambiental.

 “Hoje, Dia do Meio Ambiente, é um ótimo dia para reiterar o pedido de impeachment do maior inimigo das nossas riquezas naturais. Ricardo Salles, o antiministro, tinha que levar a sua ‘boiada’ para passar na cadeia! Nosso Meio Ambiente merece mais! Nossa celebração hoje é luta!”, ressaltou o líder da minoria, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Na mesma linha, a senadora Leila Barros (PSB-DF) afirmou que não há o que comemorar. “Em vez de aproveitar a pandemia para ‘ir passando a boiada’, nosso governo poderia investir na educação ambiental para evitar que atos de crueldade como esse que a Chapada está sendo vítima se repitam”, disse a senadora em referência ao desmatamento na Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) também fez referência à fala do ministro. “Estamos na luta para impedir que o Governo Bolsonaro, como afirmou seu Ministro do Meio Ambiente, ‘passe a boiada’ contra a proteção de nossa fauna e flora”.

Veja o que disseram os senadores nas redes sociais

Jader Barbalho (MDB-PA): “Sou favorável ao desenvolvimento social e econômico da Amazônia, com equilíbrio ambiental. Defendo a retomada do Fundo Amazônia para ampliar os recursos de monitoramento, planejamento e uso racional de nossa biodiversidade.”

Izalci Lucas (PSDB-DF): “Cuidar do meio ambiente é dever de todos, seja nas nossas casas com pequenas atitudes até nas grandes iniciativas em busca de energia mais limpa. Podemos, sim, deixar um mundo melhor e mais sustentável para as futuras gerações.”

Zenaide Maia (Pros-RN): “Não há o que comemorar neste Dia Mundial do Meio Ambiente No Senado, continuarei defendendo o meio ambiente porque, quem defende o meio ambiente, defende todas as formas de vida que habitam o nosso Planeta!”

Kátia Abreu (PP-TO): “O Brasil se tornou um dos maiores produtores de alimento do mundo porque aprendeu a respeitar o meio ambiente. Preservar a natureza é preservar a vida.”

Rogério Carvalho (PT-SE): “Estamos na luta para impedir que o Governo Bolsonaro, como afirmou seu Ministro do Meio Ambiente, ‘passe a boiada’ contra a proteção de nossa fauna e flora.”

Elmano Férrer (Podemos-PI): “A data de hoje foi criada com o objetivo de sensibilizar a sociedade sobre a importância dos cuidados com o meio ambiente e o bem-estar coletivo. Cuidar, proteger e preservar é um compromisso de todos nós!”

Paulo Paim (PT-RS): “Dia Mundial do Meio Ambiente. O país não suporta mais esse cenário de degradação das suas florestas e de seus mananciais e de desrespeito com as comunidades tradicionais.”

Randolfe Rodrigues (Rede-AP): “Hoje, Dia do Meio Ambiente, é um ótimo dia para reiterar o pedido de impeachment do maior inimigo das nossas riquezas naturais! Ricardo Salles, o antiministro, tinha que levar a sua ‘boiada’ para passar na cadeia! Nosso Meio Ambiente merece mais! Nossa celebração hoje é luta!”

Leila Barros (PSB-DF): “No Dia Mundial do Meio Ambiente, infelizmente, não temos muito o que comemorar. Um desmatamento de mais de mil hectares em Cavalcante, na Chapada dos Veadeiros, está expondo a fauna, a flora e até nascentes na região do Rio da Prata. Em vez de aproveitar a pandemia para “ir passando a boiada”, nosso governo poderia investir na educação ambiental para evitar que atos de crueldade como esse que a Chapada está sendo vítima se repitam.”

Styvenson Valentim (Podemos-RN): “Em pleno século 21, fico estarrecido ao ver que mesmo maltratando o meio ambiente, ele continua a produzir o nosso sustento. A preservação ambiental é um compromisso com a vida. Que este dia seja de reflexão sobre que mundo queremos deixar para os nossos filhos.”

Eduardo Braga (MDB-AM): “O que o Brasil tem feito para continuar protegendo o mais importante bioma do planeta? Dia de debater e propor soluções!”

Romário (Podemos-RJ): “Muito se fala sobre a importância da preservação do meio ambiente e engana-se quem pensa que essa preservação é feita apenas para economizar água ou conservar a fauna e a flora. A maioria das pessoas não imagina a quantidade e variedade de recursos que nós, humanos, precisamos e que depende de uma única fonte: a natureza. Os alimentos que comemos, o ar que respiramos, muitos remédios que curam doenças graves, a água que bebemos e o clima que torna nosso planeta habitável vêm da natureza. Somos mais dependentes do que imaginamos de sua rede interconectada e do seu delicado equilíbrio.”

Alvaro Dias (Podemos-PR): “Temos que respeitar, zelar e cuidar bem do meio ambiente. O Planeta Terra é a nossa casa! Vamos fazer o nosso melhor e pensar em deixar um mundo mais agradável para as próximas gerações. Faça o bem, espalhe coisas boas e seja a exceção positiva. A mudança começa em você!”

Paulo Rocha (PT-PA): “Em defesa da vida. Proteger a nossa biodiversidade é proteger o nosso país. Devemos sim desenvolver a nação, mas com responsabilidade com um dos maiores patrimônios do Brasil”.

Plínio Valério (PSDB-AM): “Só quem conhece, convive e respeita o meio ambiente sabe tirar proveito do que a natureza nos proporciona. Os rios enchem e secam: revisamos o barco na seca e navegamos na cheia. E assim vivemos nós, amazônidas, em completa harmonia com o meio ambiente. Conservar a floresta em pé, cuidar do meio ambiente sem esquecer dos povos que nela habitam. Equilíbrio e harmonia entre o homem e a Natureza”

Mailza Gomes (PP-AC): “Amigos, preservar o meio ambiente é cuidar da vida e proteger a humanidade. Nosso planeta tem muitos desafios e nossas ações de hoje precisam ser repensadas para deixar um ambiente mais saudável para as futuras gerações. Vamos assumir o compromisso diário de preservar e cuidar para manter a vida em harmonia com a natureza! Todos juntos somos mais fortes!”

Jaques Wagner (PT-BA): “Em 1972, por iniciativa da Assembleia Geral das Nações Unidas, 5 de junho se tornou o Dia Mundial do Meio Ambiente. Este ano, a data, necessária para a reflexão de uma pauta comprometida com o planeta, coincide com o enfrentamento ao coronavírus. Nesse contexto, proponho a criação de uma agenda pós-pandemia para pensarmos a retomada do crescimento a partir dos aspectos econômico, social e ambiental.”

Fernando Collor (Pros-AL): “O meio ambiente não é obstáculo ao progresso. É valor em si! Em vez de destruir para difundir práticas do passado, precisamos desenvolver capacidade científica para proteger a natureza e os povos tradicionais e usar seus recursos e conhecimentos com justiça e sabedoria. Neste Dia Internacional do Meio Ambiente, recordo que a conservação dos recursos naturais é um valor estruturante do mundo contemporâneo. Transcende ideologias. É um eixo do nosso processo civilizatório.”

Marcio Bittar (MDB-AC): “A preservação racional dos recursos da natureza significa não excluir da equação a geração de riquezas para homens e mulheres.”

Confúcio Moura (MDB-RO): A preservação do meio ambiente começa com pequenas atitudes diárias – consumo sustentável e coleta seletiva –, que fazem toda a diferença