PF prende pessoas no Amazonas ligadas ao governador Wilson Lima que está sob investigação

0
122
efbced  md

Investigadores do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal cumpriram na manhã desta terça-feira (30/6) mandados de prisão temporária contra oito pessoas, além de buscas e apreensões em 14 endereços de pessoas ligadas ao governador do Amazonas, Wilson Lima. As medidas incluem o bloqueio de bens no valor R$ 2,976 milhões, de 13 pessoas físicas e jurídicas. Lima é alvo de buscas e bloqueio de bens na Operação Sangria. A investigação apura a atuação de uma organização criminosa instalada no governo do Amazonas com o objetivo de desviar recursos públicos destinados a atender as necessidades da pandemia de covid-19.

“Com a participação direta do governador, foram identificadas compras superfaturadas de respiradores, direcionamento na contratação de empresa, lavagem de dinheiro e montagem de processos para encobrir os crimes praticados. No requerimento das cautelares, a subprocuradora-geral da República Lindora Araújo sustenta que as investigações permitiram, até o momento, ‘evidenciar que se está diante da atuação de uma verdadeira organização criminosa que, instalada nas estruturas estatais do governo do estado do Amazonas, serve-se da situação de calamidade provocada pela pandemia de covid-19 para obter ganhos financeiros ilícitos, em prejuízo do erário e do atendimento adequado à saúde da população'”, diz o MPF em nota.

O Amazonas é o estado brasileiro que mais tem mortos pela covid-19, na comparação por 100 mil habitantes. Além das populações urbanas, povos indígenas no estado vêm sofrendo com a doença e enfrentam divergência de números entre as secretarias estaduais e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

Uma das capitais mais atingidas pelo coronavírus, com 27.132 casos de covid-19, conforme informações atualizadas nesta segunda-feira (29) pelo Painel, Manaus fechou na semana passada o hospital de campanha montado em parceria com a iniciativa privada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here