Projetos da Associação Caatinga são destaques na COP-28 em Dubai

0
6
O projeto "Restaura Caatinga" concentra-se no plantio de 20 mil mudas de raízes alongadas - Foto: Divulgação

Em um feito notável para a conservação e restauração do bioma Caatinga, a Associação Caatinga celebrou a divulgação de dois projetos durante a COP-28, realizada em Dubai. Os projetos, denominados “Restaura Caatinga” e “Programa Carnaúba Sustentável”, foram destacados como iniciativas exemplares no âmbito da conferência internacional.

O “Restaura Caatinga” concentra-se no plantio de 20 mil mudas de raízes alongadas, produzidas pela Palm Tree, em Chorozinho , e plantadas em  Crateús. Este projeto não apenas visa recuperar áreas degradadas, mas também busca aumentar a taxa de sobrevivência das mudas em regiões semiáridas, utilizando técnicas inovadoras. A aprovação deste projeto ressalta o compromisso da Associação Caatinga em promover a restauração e a biodiversidade nesse bioma singular.

O segundo projeto em destaque foi o “Programa Carnaúba Sustentável”, que concentra suas ações em Miraíma. A carnaúba, uma árvore característica da região, é um elemento crucial na economia local. O programa busca implementar práticas sustentáveis na produção de carnaúba, conciliando o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental.

Ambos os projetos foram captados com o apoio da VBIO, consolidando a parceria estratégica entre a Associação Caatinga e a instituição. A VBIO desempenhou um papel fundamental na viabilização e promoção dessas iniciativas, contribuindo para o alcance dos objetivos ambientais e socioeconômicos propostos.

A notícia foi anunciada durante a COP-28 onde representantes da Vbio, parceira da Associação Caatinga, compartilharam os detalhes dos projetos. “A participação e reconhecimento internacional na COP-28 não apenas destacam a importância dos esforços da Associação Caatinga na preservação desse bioma único, mas também reforçam a necessidade de parcerias estratégicas e a busca constante por práticas sustentáveis para enfrentar os desafios ambientais globais. Estes projetos são um exemplo inspirador de como a ação local pode ter impactos significativos em escala global”, afirmou Edgar Gadelha, Presidente do Conselho Deliberativo da Associação. Com informações da FIEC. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here