Brasil registra 1.262 mortes por covid-19 em 24 horas; total de óbitos é de 105.463 pessoas

0
110

A contagem de mortes por covid-19 divulgada pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (13/8) informa que 1.262 pessoas morreram pela doença no Brasil nas últimas 24 horas. Com isso, o total de mortos no país chega a 105.463 pessoas. Já o número de casos subiu 60.091 e chegou ao total de 3.224.876.

Segundo o Ministério da Saúde, a doença está presente em 98,4% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.877) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 3.785 municípios tiveram registros (68%), sendo que 768 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, disse na reunião da comissão mista que analisa as questões da covid-19, que as informações sobre a vacina russa ainda são “rasas” e “incipientes”.

Ainda assim, Pazuello afirmou que o governo brasileiro já teve uma reunião com autoridades do país e do governo do Paraná para acompanhar o acordo de cooperação entre eles. “Nós estamos atentos à vacina russa e caso essa prospecção seja positiva, nós devemos também participar”, informou.

Nessa semana, o estado do Paraná e a Rússia assinaram um documento para o desenvolvimento da vacina Sputnik V. A vacina russa é questionada pela comunidade científica internacional porque o país não é claro com relação à apresentação de resultados e protocolos.

Na reunião com a comissão mista, o ministro interino disse que o governo federal se interessa por todas as vacinas viáveis.  “Vai ter muita negociação, muito trabalho para que isso seja analisado pela Anvisa para que nós possamos discutir a compra”

Vacina russa

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, disse na reunião da comissão mista que analisa as questões da covid-19, que as informações sobre a vacina russa ainda são “rasas” e “incipientes”.

Ainda assim, Pazuello afirmou que o governo brasileiro já teve uma reunião com autoridades do país e do governo do Paraná para acompanhar o acordo de cooperação entre eles. “Nós estamos atentos à vacina russa e caso essa prospecção seja positiva, nós devemos também participar”, informou.

Nessa semana, o estado do Paraná e a Rússia assinaram um documento para o desenvolvimento da vacina Sputnik V. A vacina russa é questionada pela comunidade científica internacional porque o país não é claro com relação à apresentação de resultados e protocolos.

Na reunião com a comissão mista, o ministro interino disse que o governo federal se interessa por todas as vacinas viáveis.  “Vai ter muita negociação, muito trabalho para que isso seja analisado pela Anvisa para que nós possamos discutir a compra”