Ceará faz a repatriação de 998 fósseis levados ilegalmente para a França

0
8
Após dez anos de tratativas, material que tinha sido levado ilegalmente para a França volta ao local de origem - Foto: Estácio Jr.

O Governo do Ceará repatriou, nesta quinta-feira (14/12), 998 fósseis que tinham sido levados ilegalmente para a França. A solenidade aconteceu no Aeroporto Internacional de Fortaleza. A chegada do material de raro valor científico e cultural, totalizando duas toneladas de peças, encerra um caso que começou em 2013.

Os fósseis são datados do período Cretáceo, com aproximadamente de 90 a 110 milhões de anos. O acervo impressiona pela grande variedade, com fósseis de pterossauros, peixes, plantas, insetos e outras espécies de animais, oriundos da Chapada do Araripe, no Cariri.

O professor e diretor do Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, localizado em Santana do Cariri e vinculado à Universidade Regional do Cariri (Urca), Allyson Pinheiro, afirma que esta é a maior repatriação cultural da história do Brasil: “Estamos falando da maior repatriação em volume de bens culturais brasileiros da história. Estamos vivendo um período muito especial, uma sequência de eventos raros, como o retorno do Ubirajara. Hoje é um dia muito importante e significativo”.

A comitiva estadual que recepcionou e inspecionou as peças foi comandada pela titular da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Sandra Monteiro. Ela ressaltou todas as medidas feitas pelo Governo do Ceará, há anos, para que este e todo material tomado ilicitamente do território cearense possa retornar para sua devida origem.

“Há alguns anos, nós temos um grande esforço por parte do Governo do Estado para que seja feita a defesa do patrimônio cearense e do Brasil. O retorno deste material está para além dos fins científicos. Poderemos pensar em pesquisas, envolvendo institutos nacionais e internacionais, contemplando também o nosso Museu de Paleontologia, no Cariri. Temos, então, uma gama de esforços para que tudo isso fosse concretizado”. As peças tinham sido simbolicamente entregues ao Brasil em 2022, em cerimônia realizada em Le Havre, na França.

Próximos passos

Após o recebimento, os fósseis farão parte do acervo do Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens. As peças também serão exibidas em exposições itinerantes. Com informações do governo estadual. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here